A Mulher Pálida - Machado de Assis

A mulher Pálida - Machado de Assis

A mulher Pálida

Machado de Assis

Sinopse:
No conto “A mulher pálida”, de Machado de Assis, extraído do livro Contos selecionados, não datado, o personagem poeta Máximo é visto como uma mistura de poeta, estudante, louco e imitador: "... Ele era poeta; supunha-se grande poeta; em todo caso recitava bem, com certas inflexões langorosas, umas quedas da voz e uns olhos cheios de morte e de vida. Abotoou o paletó com uma intenção chateaubriânica, mas o paletó recusou a intenções estrangeiras e literárias. Era um paletó nacional, da rua do Hospício, n..." (Assis, s.d., p. 210). Logo de saída, o narrador induz o leitor à desconfiança e, portanto, à desconstrução do conto. Máximo quer ser poeta, mas o que dele se aproveita, e parcialmente, é o recital, já que tem na voz as “inflexões langorosas”. A ironia nos leva ao contexto da época. Informações extraídas do artigo de: SANTOS, Edilson dos. Entre a gravidade e o riso: Romantismo e ironia na crítica literária de Machado de Assis.

Sobre o Autor:
Biografia de Machado de Assis

Descrição do livro:
Páginas: 8
Gênero: Conto
Idioma: Português



Recomendações: