O Livro D'ele - Florbela Espanca

O livro D'ele - Florbela Espanca

O livro D'ele

Florbela Espanca

Sinopse:
No respeitante aos motivos, as flores e a sua imagética perdem importância, face à predominância da simbologia cromática. Predomina o canto do amor, cruzado, por vezes com o tema da mentira, que pode destruir esse amor, como em Mentiras. Referência ainda à influência do género epistolar, nas quadras de Carta Para Longe e à carga fatalista que se manifesta também nestes poemas, nomeadamente numa sequência de quadras sem título, que começa com o verso Meu fado, meu doce amigo.

Sobre o Autor:
Florbela Espanca nasceu em Vila Viçosa no dia 8 de dezembro de 1894, foi batizada como Flor Bela Lobo, e que opta por se autonomear Florbela d'Alma da Conceição Espanca e foi uma poetisa portuguesa. A sua vida, de apenas trinta e seis anos, foi plena, embora tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade, carregada de erotização, feminilidade e panteísmo.

Entre 1899 e 1908, Florbela frequentou a escola primária em Vila Viçosa. Foi naquele tempo que passou a assinar os seus textos Flor d’Alma da Conceição. As suas primeiras composições poéticas datam dos anos 1903 - 1904: o poema "A Vida e a Morte", o soneto em redondilha maior em homenagem ao irmão Apeles e um poema escrito por ocasião do aniversário do pai "No dia d'anos", com a seguinte dedicatória: «Ofereço estes versos ao meu querido papá da minha alma». Em 1907, Florbela escreveu o seu primeiro conto: "Mamã!" No ano seguinte, faleceu a sua mãe, Antónia, com apenas vinte e nove anos.

Em 1916, de volta a Redondo, a poetisa reuniu uma seleção da sua produção poética desde 1915, inaugurando assim o projeto “Trocando Olhares”. A coletânea de oitenta e cinco poemas e três contos serviu-lhe mais tarde como ponto de partida para futuras publicações. Na época, as primeiras tentativas de promover as suas poesias falharam.

Em 1919 saiu a sua primeira obra, “Livro de Mágoas”, um livro de sonetos. A tiragem (duzentos exemplares) esgotou-se rapidamente.

Em 1922, em 1 de Agosto, a recém fundada Seara Nova publicou o seu soneto "Prince charmant…", dedicado a Raul Proença. Em Janeiro de 1923 veio a lume a sua segunda coletânea de sonetos, “Livro de Sóror Saudade”, edição paga pelo pai da poetisa. Para sobreviver, Florbela começou a dar aulas particulares de português.

Descrição do livro:
Páginas: Poesia
Gênero: 16
Idioma: Português



Recomendações: