A Confissão de Lúcio - Mário de Sá-Carneiro

A Confissão de Lúcio - Mário de Sá-Carneiro

A Confissão de Lúcio

Mário de Sá-Carneiro

Sinopse:
Cumpridos dez anos de prisão por um crime que não pratiquei e do qual, entanto, nunca me defendi; morto para a vida e para os sonhos; nada podendo já esperar e coisa alguma desejando — eu venho fazer enfim a minha confissão: isto é: demonstrar a minha inocência.

Talvez não me acreditem. Decerto que não me acreditam. Mas pouco importa. O meu interesse hoje em gritar que não assassinei Ricardo de Loureiro, é nulo. Não tenho família; não preciso que me reabilitem. Mesmo, quem esteve dez anos preso, nunca se reabilita. A verdade simples, é esta.

Sobre o Autor:
Mário de Sá-Carneiro (1890-1916) representa uma importante figura na história da literatura portuguesa, seja pelas suas propostas de uma poesia de semblante futurista, mas também intimista, seja pela forma com que sua narrativa de caráter surrealista é construída. Foi amigo muito próximo de Fernando Pessoa, o qual o introduziu no ciclo dos modernistas. O romance A confissão de Lúcio (1913) envereda pelo fantástico, retratando exemplarmente o então movimento de vanguarda que foi o Modernismo português. É a história de um triângulo amoroso, composto por Lúcio, Marta e Ricardo, apresentada segundo o figurino do romance policial inspirado nas novelas de Edgar Allan Poe.

Descrição do livro:
Páginas: 67
Gênero: Ficção, Conto
Idioma: Português



Recomendações: