Memórias de um Sargento de Milícias - Manuel Antônio de Almeida

Memórias de um Sargento de Milícias - Manuel Antônio de Almeida

Memórias de um Sargento de Milícias

Manuel Antônio de Almeida

Sinopse:
Memórias de um Sargento de Milícias é uma obra realmente notável. Trata-se de um enredo ainda romântico, mas com certo caráter picaresco de tendência realista, herança espanhola que traz à tona uma visão divertida de determinada época, numa clara crítica à sociedade e aos costumes então em voga. Diferente dos outros romances românticos, bem como da própria estilística do Romantismo, o protagonista na obra de Manuel Antônio de Almeida pode ser considerado como um anti-herói, já que Leonardo (ou Leonardinho) é um personagem sujeito às próprias necessidades, sem nobreza ou qualidades, é pobre, oportunista, malicioso, sem idealização (um grande traço romântico), vivendo de oportunidades e da sorte.

Publicado em 1854, Memórias de um sargento de milícias ocupa um lugar muito especial entre os romances brasileiros do século XIX. Escrito numa época em que a ficção de folhetins era sinônimo de idealização romântica, Manuel Antônio de Almeida rompeu o ciclo de heróis e heroínas e suas aventuras amorosas para narrar o cotidiano das classes populares, suas desventuras e seu anti-herói por excelência: o malandro. Leonardo, seu protagonista, nada tem em comum com os heróis românticos da época. Desde muito cedo deu as costas para a vida acadêmica e religiosa para desfrutar do ócio. Não sofre remorsos nem dores de amor, e quando é feito sargento se identifica mais com a malandragem do que com as forças da ordem. Com sua narrativa centrada nos homens livres, mas despossuídos, do Brasil dos tempos de d. João VI, este romance pioneiro oferece um panorama cômico e precioso do modo de vida e da moralidade incrivelmente adaptável de um país ainda em construção.

Descrição do livro:
Páginas: 120
Gênero: Literatura Clássica, Ficção,
Idioma: Português



Recomendações: