Ao Entardecer (contos vários) - Visconde de Taunay

Ao Entardecer (contos vários)

Visconde de Taunay

Sinopse:
Bem-vindo ao universo extraordinario de Visconde de Taunay, um dos maiores vultos da literatura Luso-Brasileira de sempre. Nesta edição de Ao Entardecer - Contos Vários, trazemos até si a melhor edição esta admirável peça literária do final do século XIX.

Ao Entardecer - Contos Vários, é uma colectânea de contos escritos pelo Visconde de Taunay, primeiramente publicados em jornais. Com a morte do autor em 1899, seu irmão conclui o projecto de publicação em livro com o título definitivo, em 1901, de Ao Entardecer - Contos Vários.

Esperamos que tenha tanto prazer a ler esta obra clássica quanto aquele que nós, Cascais Classic Editions, tivemos a trazer-lha até si.

"Em dia fresco e de chuva miuda, viajava eu na estrada de ferro Central.

Vinha de S. Paulo para o Rio de Janeiro em trem que parecia, contra inveterados hábitos, dever chegar á hora regulamentar.

A locomotiva como que se aprazia a devorar o espaço – na phrase consagrada – por tempo tão grato que dispensava calor, poeira e grandes atrazos, e o jornadear, calculado por tabella official de paradas certas, inflexíveis, sempre as mesmas, era relativamente agradável.

Na estação do Cruzeiro, onde desde largos annos –ia dizendo séculos – imperam o porte dominados, a alentada bengala, a enérgica gesticulação e as barbas medieváes e enchumaçadas do major Novaes, entrou uma família, regressando de Caxambú.

Pae, mãe, bastante moços, esta ainda vistosa, bonita, um filho de 12 para 13 annos, visivelmente doente, duas creadas, uma branca, outra preta, e um molocóte, vestido de pagem, muitas malinhas de mão, chales, cobertores, travesseiros, garrafas de leite e aguas mineraes, embrulhos com restos, sem duvida, da matolotagem, comida á descida da serra.

Tudo aquilo ás carreiras se arrumou nos bancos vazios ao lado e ao redor de mim.

Afinal, apitou a machina e partiu o barulhento comboio.

Cançado de ler, exgotados os jornaes de S. Paulo, parcos de novidades, e um tanto aborrecido com um romance de Charles Merouvel comprado no Garraux, que não me interessava, nem merecia interesse, puz-me a observar os recem-chegados.

No rosto de todos, a inquietação, concentrada no menino que, apenas sentado, pedira para se deitar.(...)"

Descrição do livro:
Páginas: 55
Gênero: Contos
Idioma: Português



Recomendações: