Os Bruzundangas - Lima Barreto

Os Bruzundangas

Afonso Henriques de Lima Barreto 

Sinopse:
O carioca Lima Barreto (1881-1922) é considerado um dos mais importantes escritores brasileiros. Duramente criticado pelos seus contemporâneos parnasianos em razão de sua linguagem coloquial e seus personagens que não seguiam o figurino vigente hoje sua obra é reconhecida como uma das grandes influências do Pré-Modernismo e tem sido traduzida para o francês russo inglês tcheco espanhol alemão e japonês. Em forma de uma coletânea de crônicas Lima Barreto escreve em Os bruzundangas (1923 obra publicada postumamente) sobre esse país fictício no qual impera a desigualdade social o mau uso do bem público o nepotismo - uma crítica contundente da sociedade brasileira e dos cânones culturais de sua época.

Os Bruzundangas é um livro de autoria do escritor brasileiro Lima Barreto, publicado póstumamente em 1923. Bruzundanga é um país fictício, que representa o Brasil, onde o narrador conta sua visão sobre essas "terras". Disserta sobre sua burguesia cultura, política e economia, criticando principalmente a "pseudo-erudição"(falsa importância) e falsa nobreza desse povo. Mostra a pobreza, o racismo e a valorização de títulos que os ricos possuem, mesmo jazendo na ignorância. Fica clara uma analogia entre a Bruzundanga e o Brasil, que na época, passava pelo momento político chamado de República Velha, ferozmente criticada por esse autor. Bruzundanga era um país onde a nobreza se dividia de duas formas. Uma constituída pelos chamados doutores. Aqueles que tinham feito medicina, direito, engenharia e de todos que tinham tal pseudo. A outra era formada por novos ricos que de forma incomum adquiriam títulos. Iam à Europa e voltavam como conde, príncipes, princesas, lordes e todo o resto. A política nesse país era cômica. Políticos eram nomeados pelo voto, mas quem votava não tinha a mínima idéia do que estava fazendo. O presidente tratado por Mandachuva e engajado na política através do sogro que o queria em bom cargo para as filhas, chegou à presidência graças à sua ignorância e logo que se viu empossado se cercou de sua “clientela”. Cargos eram entregues devido à beleza dos candidatos que deveriam saber dançar, cumprimentar e sorrir para impressionar os estrangeiros, sendo que esses eram de grande valor para os bruzundangas.

Descrição do livro:
Páginas: 87
Gênero: Ficção
Idioma: Português



Recomendações: