Estórias de Jenni

Estórias de Jenni - Voltaire

Estórias de Jenni

Voltaire

Sinopse:
Estórias de Jenni foi escrito por Voltaire em seus últimos anos de vida. Com as mesmas ideias, porém mais severo, sem seu típico tom irônico e sarcástico, o autor critica de maneira contumaz os dogmas do catolicismo. Com relação aos judeus, os recrimina pelos males cometidos, mas os defende como seres humanos. Em última análise, um texto que merece ser lido com especial carinho.

Sobre o Autor:
Filósofo iluminista francês nascido em Paris, um dos mais influentes da história e famoso por criticar violentamente a Igreja e a intolerância religiosa, tornando-se o símbolo da liberdade de pensamento. Filho de abastada família burguesa, estudou leis com os jesuítas no Colégio Louis-le-Grand em Paris, e tornou-se escritor.

Membro da Société du Temple, de libertinos e livres-pensadores, foi prisioneiro da Bastilha por 11 meses (1717-1718) como responsável por um panfleto satírico, embora alegasse inocência, período onde escreveu a tragédia Oedipe (1718), cujo sucesso o consagrou nos meios intelectuais.

Por desentendimentos com o influente duque de Rohan-Chabot, exilou-se na Inglaterra (1726-1729) e, de volta a França, escreveu o seu mais famoso livro, Lettres philosophiques ou Lettres sur les anglais (1734), um conjunto de "cartas" sobre os ingleses, nas quais fazia espirituosas comparações entre a liberdade inglesa e o atraso da França absolutista, clerical e obsoleta.

Com o livro condenado pelas autoridades, refugiou-se no castelo de Cirey, e aí passou dez anos com sua amante, a marquesa du Châtelet. Voltou a Paris (1744), foi eleito para a Academia Francesa (1746) e introduzido por Madame de Pompadour na corte. Recuperado na corte tornou-se historiador real (1750) e esteve a convite na corte de Frederico II, o Grande, da Prússia, na corte de Potsdam (1750-1753), de onde saiu após depois de um atrito com o rei.

Descrição do livro:
Páginas: 33
Gênero: Filosofia
Idioma: Português



Recomendações: