Para uma Crítica da Economia Política - Karl Marx

Para uma Crítica da Economia Política - Karl Marx

Para uma Crítica da Economia Política

Karl Marx

Sinopse:
Para a crítica da economia política: manuscrito 1861-1863 – cadernos de I a V, de Karl Marx, é importante por vários aspectos, primeiro porque se trata de um elo importante de duas obras: dos Grundrisse, redigido entre 1857 e 1858, e da publicação do primeiro caderno de O capital, em 1867. Em seguida se pode dizer que o Manuscrito, iniciado em 1861, foi uma tentativa de sistematização das categorias desvendadas em 1857 e culminou com a publicação de O capital, em 1867.

Os cadernos I a V aqui publicados foi a primeira tentativa de abordagem sistemática do processo de produção de capital, ou seja, a transformação do dinheiro em capital. Marx enfrentou o que chamou de “a questão mais importante da economia política”, qual seja, a pesquisa sobre como o mais-valor se origina. Ele disse: “Na verdade trata-se da questão de como o dinheiro, uma quantia de valor em geral, se transforma em capital, ou então: como se origina o capital?” Além de ser a gênese mais precisa de várias categorias que compõem O capital, esta obra oferece elementos para a compreensão dos próprios procedimentos empregados por seu autor na redação.

Em Marx, o processo de escrita também é método de investigação. Pela primeira vez, é possível contemplar o processo criativo marxiano, compreender as categorias que animam sua obra em sua origem.

Sobre o Autor:
Karl Marx (1818–1883) foi um filósofo e revolucionário socialista alemão. Criou as bases da doutrina comunista, onde criticou o capitalismo. Sua filosofia exerceu influência em várias áreas do conhecimento, tais como Sociologia, Política, Direito e Economia.

Karl Heinrich Marx nasceu em Trier, Renânia, província ao sul da Prússia - um dos muitos reinos em que a Alemanha estava fragmentada, no dia 5 de maio de 1818. Filho de Herschel Marx, advogado e conselheiro da justiça, descendente de judeu, era perseguido pelo governo absolutista de Guilherme III. Em 1835, depois de concluir seus estudos no Liceu Friedrich Wilhelm, Karl ingressou no curso de Direito da Universidade de Bonn onde participou das lutas políticas estudantis.

No final de 1836, Karl Marx se transferiu para a Universidade de Berlim para estudar Filosofia. Nessa época, se propagavam as ideias de Hegel, destacado filósofo e idealista alemão. Marx se alinha com os "hegelianos de esquerda", que procuram analisar as questões sociais, fundamentados na necessidade de transformações na burguesia da Alemanha. Entre 1838 e 1840, Karl Marx se dedica a elaborar sua tese. Doutorou-se em Filosofia em 1841, na Universidade de Jena, com a tese "A Diferença Entre a Filosofia da Natureza de Demócrito e a de Epicuro".

Por motivos políticos, Karl Marx não consegue a nomeação para lecionar na universidade, que não aceita mestres que seguem as ideias de Hegel. Com a recusa, Marx passa a escrever artigos para os Anais Alemães, de seu amigo Arnold Ruge, mas a censura impede sua publicação. Em outubro de 1842, muda-se para Colônia, e assume a direção do jornal “Gazeta Renana”, onde conhece Friedrich Engels, mas logo após a publicação do artigo sobre o absolutismo russo, o governo fecha o jornal.

Descrição do livro:
Páginas: 23
Gênero: Política
Idioma: Português



Recomendações: